o seu sítio de poesia

BUSCA SONETO

RIMADOR

SONETOS FAMOSOS
SONETOS MEUS
SONETOS SEUS
COMUNIDADE
HISTÓRIA
RIMADOR
PARA OUVIR
SONETO-ARTE
COMO ESCREVER
LIVRO DE VISITAS
SONETOS NO MUNDO
SOBRE ESTE SÍTIO

Acesse também o Twitter do sítio!
Estamos agora no Facebook! Procure pelas comunidades Sonetos e SONETOS.com.br!
Imprimir Enviar Ouvir Twitter del.icio.us Facebook
Música Brasileira

Tens, às vezes, o fogo soberano
Do amor: encerras na cadência, acesa
Em requebros e encantos de impureza,
Todo o feitiço do pecado humano.

Mas, sobre essa volúpia, erra a tristeza
Dos desertos, das matas e do oceano:
Bárbara poracé, banzo africano,
E soluços de trova portuguesa.

És samba e jongo, xiba e fado, cujos
Acordes são desejos e orfandades
De selvagens, cativos e marujos:

E em nostalgias e paixões consistes,
Lasciva dor, beijo de três saudades,
Flor amorosa de três raças tristes.

Olavo Bilac

ENVIAR SEU SONETO

INDICAR O SÍTIO

ANTERIOR
Em Custódia Quatro prisões, quatro interrogatórios... Há três anos que as solas dos...

PRÓXIMO
New York Resplandeces e ris, ardes e tumultuas; Na escalada do céu, galgando em fúr...

Soneto de Olavo Bilac

Ajude a eleger os melhores sonetos! Se gostou desse, vote aqui.

NOVIDADE! Seja o primeiro a deixar um comentário sobre este soneto. Clique aqui.
© 2002-2010 Bernardo Trancoso. Todos os direitos reservados.